Crónica do Jogo: Portugal – Rússia (1-0)

Tendo forçosamente que ganhar para continuar a ter esperança na qualificação para o Euro’2013, a selecção portuguesa de sub-21 entrou em campo ao ataque e disposta a conquistar os 3 pontos.

Portugal - Rússia_1.jpgNo entanto, encontrou pela frente uma Rússia com características de equipa “pequena”, ou seja, muito recuada, fechando todos os caminhos para a sua baliza e só atacando pela certa.

Os jogadores de Portugal, talvez algo surpreendidos pela táctica da formação adversária, demoraram a reagir e durante os primeiros 30 minutos assistiu-se a uma partida de futebol muito “desgarrada”, sem lances perigosos e sem qualquer emoção.

Aos 31 minutos, Ibragim Tsallagov vê cartão amarelo e pouco depois Cédric Soares também é admoestado com a mesma cartolina, deixando o jogo empatado até no capítulo dos cartões.

Ao intervalo, o nulo era justíssimo para os dois conjuntos, pois Portugal era penalizado pela falta de eficácia, enquanto a Rússia pecava pela falta de iniciativa atacante.

Na segunda parte, mais do mesmo, Portugal ao ataque em busca do golo da vitória, e a Rússia fechada no seu meio-campo guardando o precioso empate e o precioso ponto, que os deixaria a uma vitória (ou dois empates) do apuramento.

Entre os 60 e os 65 minutos, o técnico Rui Jorge resolve “pôr a carne toda no assador” (como dizia Quinito) e lança David Simão e Abel Camará, tentando dar mais criatividade ao ataque português.

A estratégia deu resultado, pois a equipa portuguesa passou a jogar com mais velocidade, criando mais lances de perigo e jogadas vistosas, quase sempre organizadas por Simão, pelo centro do terreno, ou por Camará, na ala direita do ataque nacional.

Aos 74 minutos, e curiosamente a partir da ala esquerda (que estava a ser uma nulidade, muito por culpa da fraca exibição de Salvador Agra), a bola é centrada para o coração da pequena área, onde aparece André Martins a cabecear para o fundo da baliza, depois de um falhanço enorme de Abel Camará e do guardião Nikolai Zabolotni.

O tento deu mais ânimo à equipa portuguesa, que apesar de tentar chegar ao 2-0 não foi feliz e acabou por vencer apenas por 1 golo de diferença, quebrando uma série de 7 jogos sem perder da formação russa.

Jornalista: João Miguel Pereira

Deixe o seu comentário